Concurso PRF 2018: Cespe/Cebraspe é oficialmente escolhido como banca do concurso e edital PRF se aproxima

 

Dispensa de licitação foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta

Foi publicado na última sexta-feira, 19 de outubro, no Diário Oficial da União, o Extrato de Dispensa de Licitação que oficializa a escolha do Cespe/Cebraspe como a banca organizadora do concurso da Polícia Rodoviária Federal. O documento confirma que o edital PRF 2018 deve ofertar 500 vagas para o cargo de Policia Rodoviário Federal.

O Cespe é oficialmente a banca escolhida e o valor estimado do contrato que é de R$ 12.830.328,00.

Com a finalização dos procedimentos legais sobre a dispensa de licitação e a publicação do extrato no Diário Oficial da União, o próximo passo é órgão e banca assinarem o contrato e tão logo publicar o edital PRF.

O que precisa para ser um PRF?

Requisitos necessários para concorrer a uma das vagas PRF:

– Nível superior em qualquer área de formação

– Carteira Nacional de Habilitação ou permissão para conduzir veículos automotores de, no mínimo, categoria “B”.

– Ter idade mínima de 18 anos completos na data da posse

– Não há idade máxima estabelecida.

– Ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo

O que faz um PRF?

Realiza atividades de natureza policial envolvendo fiscalização, patrulhamento e policiamento ostensivo, atendimento e socorro às vítimas de acidentes rodoviários e demais atribuições relacionadas com a área operacional do Departamento de Polícia Rodoviária Federal.

Quanto recebe um PRF?

De acordo com o reajuste salarial, publicado na Lei nº 13.371/16 – em vigor desde 2017, o reajuste será de até 37% em cima do saldo, sendo pagos em três parcelas até 2019. Isso significa que ao ser aprovado no concurso PRF 2018, prestando para o cargo da Terceira Classe, Padrão I, você entrará ganhando quase R$ 10 mil.

A remuneração dos servidores da PRF em 2019 terá o inicial de R$9.899 e o final em R$16.552. Além do Auxílio Alimentação de R$ 458,00 e o Adicional de Fronteira (será explicado logo abaixo) de até R$ 1.900,00.

O reajuste, estabelecido em Lei, cumpre com os dados que estão expostos na tabela abaixo.

Além dos benefícios já citados, há também um adicional de indenização diária a servidores da Polícia Rodoviária Federal que trabalham em locais de fronteira do Brasil, que é valido para mais quatro carreiras.

Essas carreriras são: Receita Federal, Policia Federal, Auditores do Trabalho e Auditores Fiscais Agropecuários. Este adicional está previsto em um decreto assinado pelo presidente Michel Temer.

Esse adicional será de R$ 91,00 por dia trabalhado durante a semana –  não serão contabilizados os fins de semana – podendo chegar a um acréscimo de R$ 2 mil líquidos à remuneração ao final de 22 dias trabalhados em locais de fronteira.

Indenizações a PRF’s

No dia 7 de agosto, o Plenário do Senado Federal aprovou o projeto de lei de conversão n°19/2018, que regulamenta indenizações para policiais rodoviários federais que trabalharem durante o repouso remunerado.

A medida pode ser concedida ao integrante da Carreira da PRF que, voluntariamente, se dispuser a trabalhar durante parte do período de repouso remunerado de seu regime de turno ou escala e participar de ações relevantes, complexas ou emergenciais.

O texto da lei aprovada pelos senadores prevê indenização de R$420 para períodos de seis horas e R$900, para doze.

Agora, o projeto deve ser encaminhado à presidência da república, se sancionada, a lei conferirá aos policiais rodoviários a possibilidade de aumentar seus rendimentos, que atualmente variam entre R$9 mil e R$15 mil.

Aumento no número de vagas

O concurso já está previsto para acontecer no ano de 2018 desde que o ministro da Segurança Pública havia anunciado a autorização para contratar 500 policiais rodoviários federais. O Departamento de Polícia chegou a consultar junto ao MPOG com vistas a aumentar o número de vagas.

Inclusive, a própria Federação Nacional do Policiais Rodoviários Federais havia publicado que o ministro Jungmann disse aguardar resposta do pedido que o Diretor da DPRF fez ao MPOG solicitando o aumento no número de vagas.

Em contato com o Jornalismo do Estratégia, uma fonte do órgão (PRF) disse que foi realizado o pedido de 3.000 vagas por parte da Federação. Contou ainda, que a PRF tem no momento pouco mais de 10.000 policiais, tendo exatamente 3.029 cargos vagos.

Último concurso PRF

O último concurso para PRF foi realizado em 2013 e aplicado pela banca Cespe. Vale notar que o Cespe foi a banca deste certame em 2002, 2004, 2008 e 2013. Somente em 2009 tivemos uma exceção, quando a prova foi aplicada pelabanca Funrio.

Em 2013 foram oferecidas 1.000 vagas no edital PRF. O concurso contou com 109.769 inscritos, uma concorrência superior a 100 candidatos por vaga.

Etapas – Edital PRF

Abaixo listamos as etapas do último certame, 2013, como referência.

Obs: Neste novo edital podem haver modificações

  1. Prova Objetiva e Discursiva (eliminatório e classificatório)
  2. Exame de Capacidade Física (eliminatório)
  • Avaliação de Saúde (eliminatório)
  1. Avaliação Psicológica (eliminatório)
  2. Investigação Social (eliminatório)
  3. Avaliação de Títulos (classificatório)
  • Curso de Formação

Prova Objetiva e Discursiva

  • Prova objetiva com 120 questões – 50 itens sobre as disciplinas de Conhecimentos Básicos e 70 itens de Conhecimentos Específicos. 
  • Discursiva de até 30 linhas
  • 4h30min para realização
  • Cabe recurso nos dois dias seguintes ao resultado

Exame de Capacidade Física (TAF)

  • Flexão em Barra Fixa
  • Impulsão Horizontal – Salto
  • Flexão Abdominal
  • Corrida – 12 minutos
  • Cabe recurso nos dois dias seguintes ao resultado

Obs: No último concurso foram convocados 4 vezes o número de vagas (isto é, os 4.000 candidatos melhor classificados nas provas escritas)

Avaliação de Saúde

  • Realização de exames laboratoriais
  • Resultado: Apto ou Inapto
  • Os exames são custeados pelo candidato e devem ser entregues para avaliação da junta médica da banca
  • Cabe recurso nos dois dias seguintes ao resultado

Avaliação Psicológica

  • Bateria de testes e exames psicológicos para testar sua aptidão para o cargo
    • Atenção
    • Memória
    • Capacidade Intelectual
    • Personalidade
    • Resultado: Apto ou Inapto
    • Cabe recurso nos dois dias seguintes ao resultado

Investigação Social

  • Avaliação de informações que permitam avaliar a sua idoneidade
  • Apresentação de documentos como o “nada consta de antecedentes criminais”

Avaliação de Títulos

  • Os candidatos melhor classificados nas provas escritas (e que não foram eliminados no teste físico, avaliações de saúde e psicológica e investigação social) são chamados para esta fase.
  • Esta fase encerra a primeira etapa do concurso
  • Contam como títulos:

Curso de Formação de Instrutores

No dia 04 de maio, foi publicado o edital para o Curso de Formação de Instrutores – CFI da Polícia Rodoviária Federal. Trata-se de um curso interno para servidores policiais que podem compor a equipe de instrutores do Curso de Formação Profissional PRF 2018.

Este curso terminou dia 15 de junho de 2018, mês que coincidiu com a declaração do ministro da segurança pública, Raul Jungmann, sobre a publicação do edital do concurso PRF para esse ano.

Já havíamos mencionado anteriormente sobre esse pronunciamento do ministro feito durante um evento em Brasília. E este CFI que terminará no mesmo mês de junho é um indicativo de que haverá um concurso PRF em breve.

Confira o cronograma deste processo seletivo interno:

A duração do curso estendeu-se pelo período entre 28 de maio a 15 de junho de 2018. A seleção interna ofereceu 88 vagas, sendo 08 destinadas especificamente para a Academia Nacional da Polícia Rodoviária Federal – ANPRF, que chega a receber indicações.

Quem participa desta seleção?

Aqueles servidores que possuem os seguintes requisitos:

  • Curso de Formação de Formadores – CFF, promovido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública – SENASP na modalidade EaD;
  • Ter, referencialmente, a habilitação para Condução de Veículos de Emergência – CVE;
  • Não estar afastado da atribuição do do cargo, sejam estes afastamentos totais ou parciais, remunerados ou não.

As unidades destinadas aos instrutores:

  1. a) Gabinete – GAB;
    b) Corregedoria-Geral – CG;
    c) Coordenação-Geral de Planejamento e Modernização Rodoviária – CGPLAM;
    d) Coordenação-Geral de Operações – CGO;
    e) Coordenação-Geral de Recursos Humanos – CGRH;
    f) Coordenação-Geral de Administração – CGA; e
    g) Academia Nacional da Polícia Rodoviária Federal – ANPRF.

[/fusion_text][/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]

2018-10-23T13:36:46+00:00