O aguardado concurso Bacen (Banco Central do Brasil, também conhecido BC ou BCB) está um pouco mais próximo de ocorrer. Isso porque a instituição confirmou o envio de um novo pedido de autorização para preenchimento de postos ao Ministério da Economia. A solicitação segue as mesmas condições do pedido anterior, enviado em 2019.

A realização do concurso Bacen é importante devido ao déficit de servidores: levantamento recente aponta que o Banco Central possui 2.771 cargos vagos. Buscando corrigir esse déficit, o Bacen buscou a autorização do Ministério da Economia para abertura de 260 vagas. Desse total, 200 são para o cargo de analista, 30 para o de procurador e 30 para o de técnico.

O cargo de técnico do Banco Central exige somente o ensino médio completo e garante remunerações iniciais de R$ 7.741,31, valor que já tem incluso o auxílio-alimentação de R$ 458. Para analistas, a remuneração inicial é de R$ 19.655,06 e exige ensino superior completo em qualquer área de formação. Já os futuros procuradores precisam ter graduação em Direito, inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil e comprovação de, no mínimo, dois anos de prática forense. Os vencimentos são de R$ 21.472,49 por mês.

Concurso Bacen: instituição pode passar a ter maior autonomia

  Além do pedido, a realização de novas seleções pode se tornar mais viável, em decorrência do projeto de lei complementar 19/2019, que visa dar maior autonomia para a instituição. A proposta está na ordem do dia para votação no Senado. A intenção inicial era apreciar a matéria em 10 de março, com discussão em turno único, mas vem sendo adiada, em decorrência de prioridades para temas considerados mais urgentes, em decorrência da pandemia de Coronavírus.

Com a proposta, além do controle da inflação, o Bacen passará a ter mais dois objetivos: suavizar as flutuações do nível de atividade econômica e zelar pela solidez do sistema financeiro.

A proposta também fixa em quatro anos o mandato para os dirigentes da autarquia, com a possibilidade de uma recondução, e determina que o mandato do presidente do BC comece no primeiro dia útil do terceiro ano do mandato do presidente da República.

Além desse projeto, outro semelhante tramita na Câmara dos Deputados. Trata-se do projeto de lei complementar 112/2019, que está parado na Coordenação de Comissões Permanentes desde junho de 2019. A diferença é que a proposta na Câmara transfere competências sobre política monetária do Conselho Monetário Nacional para o Banco Central, ponto que não é tratado na proposta que será votada no Senado.

Último concurso Bacen

Com o novo envio do pedido de concurso Bacen, a orientação dos especialistas é para que os interessados iniciem o quanto antes a sua preparação, tomando como base a seleção mais recente para o cargo pretendido. Para técnico e analista, a última seleção foi realizada em 2013, com os candidatos sendo submetidos a provas objetiva e discursiva, avaliação de títulos (apenas para analista) e programa de capacitação. No caso de técnico, foram cobrados conhecimentos de Língua Portuguesa, Noções de Direito Constitucional e de Direito Administrativo, Gestão Pública, Informática e Raciocínio Lógico-Quantitativo, além de Conhecimentos Específicos.

No último concurso, os candidatos aprovados assumiram seus postos em cinco capitais: Brasília, Salvador, Porto Alegre, São Paulo e Belém.